GRUPOS DE PESQUISA


No conjunto das atividades realizadas pelo PPGHIS, os grupos de pesquisa liderados ou compostos por nossos docentes e discentes desempenham função relevante no que concerne à elaboração, operacionalização e socialização dos resultados alcançados pelas investigações históricas realizadas sob a chancela do Programa. Assim, os principais grupos presentes no Mestrado em História Regional e Local são os seguintes:

1. História Regional e Local

Este Grupo de Pesquisa, liderado pelo Prof. Wellington Castellucci, atualmente, é composto de 14 docentes e 17 discentes e egressos do PPGHIS/UNEB, UFRB e UESB. As inquietações teóricas do Grupo giram em torno de estudos que abordam, sobretudo, as múltiplas dimensões das experiências históricas, da cultura material e imaterial, das formas de manifestações religiosas e das maneiras de resistir de diferentes sujeitos históricos, em demarcações temporais e espaciais regionalizadas, mas articuladas às perspectivas mais amplas da contemporaneidade. Dentre os seus objetivos, destacam-se: 1) fortalecer e dinamizar as linhas de pesquisa do Programa de Pós Graduação em História Regional e Local; 2) contribuir para a consolidação de novos recortes temáticos, que valorizem prioritariamente os estudos da cultura material e imaterial, das relações de trabalho, do imaginário, das manifestações religiosas a partir de uma perspectiva local e regional; 3) criar condições adequadas para a construção de centros de memória e núcleos de preservação documental acerca da região do Recôncavo e dos sertões da Bahia; 4) propiciar um ambiente favorável ao desenvolvimento da pesquisa histórica, que envolva professores e corpo discente, com a finalidade de buscar respaldo institucional e políticas de financiamento para amparar e divulgar as investigações realizadas pelo Grupo; e 5) ampliar o diálogo interinstitucional, com a finalidade de permitir a contínua política de aperfeiçoamento e atualização intelectual de docentes e discentes.

2. História, Literatura e Memória

Atualmente, este Grupo, liderado pelo Prof. Dr. Paulo Santos Silva, é composto de 3 docentes e 2 discentes e 1 egresso do PPGHIS. Em linhas gerais, possui em seu histórico a efetivação dos seguintes trabalhos: 1) sessão de comunicação "Escritas da história e linguagens: jornalismo, literatura e cinema", no II Simpósio Nacional de História Cultural (2004); 2) I Seminário do Grupo, com o tema "Narrativas cruzadas: memória e ficção na instituição do passado" (2007); 3) II Seminário do Grupo, com o tema "Recompondo trajetórias: biografia, autobiografia e escrita de si" (2008); 4) III Seminário do Grupo com o tema "Letras do Litoral Norte: desarquivamento e narrativas" (2009); 5) publicação da coletânea "Desarquivamento e narrativas: história, literatura e memória", com seis artigos, pela Editora Quarteto, Salvador, 2010; e 5) IV Seminário do Grupo de Pesquisa, com o tema “Romance Histórico e Memória: retratação e narrativas do passado” (2010).

3. História Oral e Memória

Liderado pela Profa. Dra. Sara Oliveira, este Grupo também é constituído por docentes da UNEB e 4 discentes do PPGHIS. O objetivo principal do Grupo consiste em analisar e discutir alguns aspectos da História da Bahia através da metodologia da História Oral. Ademais, trabalha na criação de um arquivo sonoro e iconográfico para alguns municípios da Bahia, incluindo o Recôncavo e outras regiões do Estado.

4. História da América Portuguesa

Liderado pela Profa. Suzana Severs, este grupo procura incentivar a pesquisa sobre a história colonial da Bahia, uma vez que a historiografia baiana recente concentra-se em outros períodos históricos, e aquela concernente ao período colonial debruça-se mais a aspectos relacionados à "cidade da Bahia", como era chamada Salvador, enfocando grandes temas como Igreja, poder local, escravatura e negócios. Ressalte-se que as capitanias e demais regiões interioranas que vieram a formar o atual Estado da Bahia são muito pouco estudadas, sobretudo em sua dinâmica interna e em sua relação com o centro político-administrativo da América portuguesa. No entanto, existe riquíssima fonte documental manuscrita produzida nos séculos coloniais em acervos espalhados nestas regiões que necessita levantamento, descrição, catalogação, enfim, de ser (re)conhecida para ser estudada na perspectiva histórica ensejando assim o aprofundamento e alargamento da história da Bahia e esta em relação à história do Brasil.

5. Grupo de Estudos do Tempo Presente

O Grupo de Estudos do Tempo Presente da Universidade do Estado da Bahia (GET-UNEB), liderado pelas professoras Cristina Monteiro de Andrada Luna e Priscila Gomes Correa, surge em 2012 da convergência de professores e pesquisadores ligados a diferentes linhas de pesquisa, entre elas militares na política, cultura e política no mundo contemporâneo, cinema e história e história comparada das ditaduras. Articulando-se com o Mestrado em História Regional e Local da UNEB, o grupo constitui-se em um espaço de discussão, pesquisa e interlocução acerca de temas ligados ao Brasil, à América Latina e ao mundo através do estudo de suas sociedades, instituições, políticas e culturas; prioritariamente do pós Segunda Guerra. O objetivo é, pois, contribuir com o corpo de debates existente sobre temáticas como, os regimes autoritários no Brasil, na América Latina e no mundo, além de seus processos de redemocratização; o Estado e suas instituições civis e militares; além da relação entre arte, cultura e política na contemporaneidade.

6. Firmina - Pós-Colonialidade: Educação, História, Cultura e Ações Afirmativas

Liderado pelo prof. Wilson Roberto de Mattos, este grupo nasceu a partir de ações de pesquisa, estudos e atividades de formação de professores desenvolvidas por um Grupo de Estudos vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia-UNEB. Essas ações relacionam-se aos conteúdos determinados pela Lei Federal 10639-03, qual seja, a obrigatoriedade de inclusão de História da África e Cultura Afro-Brasileira nas escolas da Educação Básica.Consolidadas essas atividades iniciais, o Grupo passou a desenvolver atividades de pesquisas mais sistemáticas se especilizando no tema das Ações Afirmativas, sobretudo no que diz respeito ao acesso, desempenho e permanência de estudantes negros no ensino superior. Em complemento o Grupo tem se empenhado em pesquisas e reflexões que garantem o aprofundamento sobre o conhecimento das experiências históricas das populações negras brasileiras, em especial, nos aspectos específicos negligenciados pela historiografia oficial. Do ponto de vista teórico-metodológico o Grupo toma como referência fundamental as concepções nomeadas como Estudos Pós-Coloniais. Nesse sentido defendem uma postura revisionista, de modo a incluir os subalternos, mais especificamente, as populações negras, no cenário da história, não como objetos de estudos, mas como sujeitos, concebendo a negritude como retomada da dignidade negada pelo colonialismo, de modo a propor a descolonização do pensamento no sentido de uma perspectiva própria de vida, conhecimento e experiência. Espera-se, com as atividades e produções deste Grupo de Pesquisa, contribuir para a ampliação do conhecimento sobre a dinâmica das relações e hierarquias étnico-raciais brasileiras. Busca-se ainda, com a produção desses novos conhecimentos, desenvolver metodologias pedagógicas inovadoras e subsídios para a produção de material didático, voltados para a formação de professores que atuam na educação básica..